Postado em 01 de Abril de 2019 às 14h42

Música para o coração

Vida Saudável (34)

As notas musicais acalmam a mente e o corpo e podem ser grandes aliadas quando se trata da saúde, principalmente de pessoas hipertensas segundo pesquisa

Por Tuanny de Paula

A música movimenta as pessoas. A combinação de ondas sonoras proporciona diversos sentimentos dentro da gente. Alegria, tristeza, exaltação. O coração acelera e se acalma com as batidas da canção. E se você acha que a música é só uma alternativa para relaxar, está redondamente enganado.

Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade Estadual Paulista (Unesp/Marília) em parceria com a Faculdade de Juazeiro do Norte, no Ceará, a Faculdade de Medicina do ABC e a Oxford Brookes University, da Inglaterra, a música proporcionou efeitos positivos, em curto prazo, sobre a resposta do controle da frequência cardíaca induzida por anti-hipertensivos.

O estudo acompanhou por dois dias 37 indivíduos com hipertensão controlada. Quatorze homens e 23 mulheres, que foram tratados no primeiro dia com medicamento anti-hipertensivo. Os parâmetros cardiovasculares foram monitorados durante uma hora após a administração do remédio, enquanto ouviam música por meio de um fone de ouvido.

A playlist contava com músicas como ‘Someone like you - piano instrumental’ e ‘Hello - piano instrumental’, da cantora Adele; ‘Electra’ da banda Airstream; ‘Amazing grace [my chains are gone] - versão instrumental’, de Chris Tomlin e ‘Watermark’, da musicista Enya.

No outro dia, os pacientes realizaram o mesmo procedimento da pesquisa, porém mantiveram o fone de ouvido desligado. "Observamos que a música melhorou a frequência cardíaca e os efeitos dos remédios anti-hipertensivos no período de até uma hora após a medicação", comenta o coordenador do estudo, Vitor Engrácia Valenti.

O relatório do estudo apontou, por meio de um método para detectar alterações do coração, que os medicamentos apresentaram respostas mais intensas sobre a atividade do coração quando os voluntários ouviam música. Assim, os pesquisadores concluíram que a música intensificou os efeitos benéficos dos anti-hipertensivos em curto prazo.

"Constatamos que a música erudita ativa o sistema nervoso parassimpático - responsável por estimular ações que permitem ao organismo responder a situações de calma, como desaceleração dos batimentos cardíacos e diminuição da pressão arterial e da adrenalina e açúcar no sangue - e reduz a atividade do sistema simpático - que pode acelerar os batimentos cardíacos", explicou Valenti.

Veja também

Diabetes: uma doença silenciosa22/12/17Pesquisa revela que diabetes cresceu mais de 50% na última década. Por Samara Grando O número de brasileiros diagnosticados com diabetes cresceu 61,8% nos últimos 10 anos, passando de 5,5% da população em 2006, para 8,9% em 2017. O diabetes é uma doença crônica caracterizada pelo aumento da glicemia (glicose no sangue), que leva a sintomas como cansaço, excesso de sede e de urina, visão turva e emagrecimento......
Boa alimentação para saúde muscular e óssea15/12/17Conheça mais sobre a importância da Vitamina D para a saúde muscular e óssea. Os hábitos alimentares e outros fatores do estilo de vida desempenham papel importante na determinação da saúde dos ossos ao longo da vida e, assim como o cálcio, a vitamina D é essencial para manter a......
Dia Nacional de Combate ao Fumo29/08/17Brasil tem se destacado em ações contra o tabagismo. Desde o final da década de 1980, sob a ótica da promoção da saúde, a gestão e a governança do controle do tabagismo no Brasil vêm sendo articuladas pelo Ministério da Saúde através do......

Voltar para NOTÍCIAS