Postado em 18 de Fevereiro de 2019 às 14h20

Combate ao Alcoolismo

Vida Saudável (34)

Dia marca a luta contra a dependência do álcool.

Nesta segunda-feira (18), é o Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo, lembrado como um dos principais problemas de saúde pública no Brasil. De acordo com o Instituto de Estudos em Saúde Coletiva – iNESCO, cerca de 15% da população nacional é dependente do álcool, a maioria homens jovens entre 18 e 29 anos.

Pesquisas mostram que o etanol, em quaisquer quantidades, pode causar o desenvolvimento de câncer de boca, faringe, laringe, esôfago, estômago, fígado, intestino (cólon e reto) e mama (pré e pós-menopausa). Segundo o Instituto Nacional do Câncer – INCA, o etanol tem o efeito cancerígeno sobre as células e, quando chega ao intestino, pode funcionar como solvente, facilitando a entrada de outras substâncias carcinogênicas nas células para dentro da célula.

É importante destacar que há uma evidente relação dose-resposta entre o consumo de bebidas alcoólicas e o risco de câncer. Ou seja, quanto maior a dose ingerida e o tempo de exposição, maior será o risco de desenvolver os tipos de cânceres já citados.

Veja também

Dia Mundial do Câncer05/02/19O dia 4 de fevereiro é o Dia Mundial do Câncer e pesquisa alerta para que sobreviventes da doença mudem seu estilo de vida. Sobreviver ao câncer é o principal objetivo de qualquer paciente com a doença. Pesquisa pioneira do Instituto Nacional de Câncer (INCA) mostrou que o desafio, no entanto, não termina com o fim do tratamento. A pesquisa Compreendendo a Sobrevivência ao Câncer na América Latina: Os casos do Brasil foi desenvolvida ao longo dos anos de 2014 e 2015, com 47......
Diabetes: uma doença silenciosa22/12/17Pesquisa revela que diabetes cresceu mais de 50% na última década. Por Samara Grando O número de brasileiros diagnosticados com diabetes cresceu 61,8% nos últimos 10 anos, passando de 5,5% da população em 2006, para 8,9% em 2017. O diabetes é uma doença crônica......
Uso racional de medicamentos04/05/20OMS recomenda, mas quais são os limites A Organização Mundial da Saúde (OMS) promove o uso racional de medicamentos. O conceito é complexo. É preciso relativizá-lo levando em conta as diferenças culturais e socioeconômicas de cada país:......

Voltar para NOTÍCIAS