Postado em 16 de Abril de 2018 às 15h11

Canoas Mais Leve

Gestão de Saúde (33)

Iniciativa de combate a obesidade em município gaúcho oferece atendimento multidisciplinar.

Por Marcela Panke

A Secretaria Municipal da Saúde da Prefeitura de Canoas (RS) implantou, em 2017, o projeto Canoas Mais Leve, que tem o objetivo de combater a obesidade e doenças relacionadas no município. O Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan) do Ministério da Saúde aponta que a obesidade atinge 38,9% das mulheres adultas de Canoas e 32,85% entre os homens.

A iniciativa mantém grupos nos quatro quadrantes da cidade. O atendimento é feito com uma equipe multidisciplinar composta por nutrólogo, nutricionistas, psicóloga, psiquiatra, educador físico e assistente social. Conforme a coordenadora do programa, Amanda Barros, os pacientes que podem fazer parte do Canoas Mais Leve precisam atender alguns critérios. “Adultos a partir de 18 anos com Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 30Kg/m2, com ou sem comorbidades associadas”, disse.

Índices Alarmantes

Revista Servioeste Saúde e Meio Ambiente Índices Alarmantes Amanda ainda destaca que os índices de obesidade de Canoas são próximos da realidade dos Estados Unidos, onde o problema já é considerado uma epidemia....

Amanda ainda destaca que os índices de obesidade de Canoas são próximos da realidade dos Estados Unidos, onde o problema já é considerado uma epidemia. “Nós queremos reduzir os índices de mortalidade e prolongar a expectativa de vida com qualidade. Hoje, 50% dos pacientes que chegam a óbito por doenças crônicas morrem antes dos 70 anos”, frisou.

A coordenadora do programa aponta que, ao perder em 10% o peso corporal, o paciente apresenta queda na pressão arterial, diminuição da glicemia, colesterol e triglicerídeos, reduzindo o risco para doença cardiovascular, que é uma das principais causas de morte no mundo e em Canoas.

*Fotos: Divulgação/Vinicius Thormann

Veja também

Confirmado primeiro caso autóctone de chikungunya em SC09/03/18DIVE confirma primeiro caso autóctone de febre chikungunya em Santa Catarina. A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE) confirmou o primeiro caso autóctone de febre chikungunya em uma pessoa residente no município de Cunha Porã, na Microrregião Oeste de Santa Catarina.O diagnóstico foi confirmado pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Segundo a......
Unidades Básicas de Saúde serão informatizadas15/08/17Unidades básicas de saúde estarão informatizadas até o fim de 2018, diz ministro. Até 2018, todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do País estarão informatizadas, disse ontem (14) o Ministro da Saúde, Ricardo Barros. Segundo ele, cerca de 15 mil UBSs já são informatizadas......
Lean Healthcare e segurança do paciente13/10/17O conhecimento Lean tem sido importante elemento transformador da maneira como se pensa e pratica gestão em saúde, com o foco no paciente. Edson Stakonski – Diretor técnico e coordenador médico da Gestão da Qualidade da Unimed Chapecó, especialista em Cardiologia | CRM: 11648 Fábio Redin – Coach High Performance Executive e diretor executivo da......

Voltar para NOTÍCIAS