Postado em 13 de Setembro de 2018 às 14h31

Setembro Verde alerta para o câncer de intestino

Gestão de Saúde (33)

Campanha de prevenção do câncer colorretal é uma iniciativa da Sociedade Brasileira De Coloproctologia.

Idealizada inicialmente pela Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP), a campanha Setembro Verde tem o objetivo de oferecer informações gerais sobre o câncer de intestino e, principalmente, suas formas de prevenção, orientando a população para a existência da doença e a necessidade de realizar exames para o diagnóstico precoce.

O câncer colorretal está entre os mais incidentes no Brasil e no mundo. Estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca) preveem para este ano mais de 34 mil novos casos, cuja proporção será maior em Santa Catarina, onde a doença é a segunda e a quarta mais frequente entre mulheres e homens, respectivamente. “A maior incidência, proporcionalmente a população, do câncer de cólon e reto na região Sul se deve ao fato de o modo de vida nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina ser mais semelhante ao de países desenvolvidos, em que há uma elevada prevalência de excesso de peso e obesidade, inatividade física, tabagismo, ingesta de bebida alcoólica e consumo de carnes processadas”, explica o cirurgião oncológico Cristiano Vendrame.

De acordo com o médico, este câncer pode ser evitado na maioria dos casos, principalmente com a adoção de hábitos saudáveis, como prática de exercícios físicos e alimentação rica em fibras, frutas e verduras. Além disso, o diagnóstico precoce é um fator primordial para o bom tratamento da doença. “O câncer do intestino é altamente curável, especialmente quando diagnosticado precocemente, por isso é importante fazer exames. A cirurgia é necessária para a cura na maior parte das vezes, e pode ser feita de forma convencional ou minimamente invasiva (videolaparoscopia ou robótica) e, às vezes, é necessário associar quimioterapia e radioterapia ao tratamento. Infelizmente, no Brasil, muitos pacientes fazem o diagnóstico em fase avançada (estádio IV), quando a doença já está no fígado, peritônio ou pulmão, por exemplo, necessitando cirurgias maiores para a retirada das metástases, o que diminui bastante as taxas de cura”, afirma Dr. Vendrame.

A doença geralmente não apresenta sintomas em sua fase inicial, os sinais e sintomas quando presentes, podem variar de desconforto abdominal, intestino preso ou diarreia, dependendo da localização do tumor, e sangue nas fezes.

A recomendação das sociedades de especialidades é de que a colonoscopia seja realizada a partir dos 50 anos, quando não há casos na família de câncer colorretal e pólipos. Quando?houver histórico familiar, a recomendação geralmente é a partir dos 40 anos de idade, ou 10 anos antes do caso familiar.

Veja também

Gerenciamento de Resíduos Líquidos de Serviços de Saúde19/12/18Sistemas Fechados de Aspiração de Fluidos Corpóreos. A legislação que zela pelo gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (RSS) recentemente editada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a RDC 222, classifica os fluidos corpóreos potencialmente infectados como sendo resíduos do tipo A1, ou seja, não podem ser dispensados diretamente na rede de esgotos sem tratamento......
Aumentam os focos de Aedes aegypti em Santa Catarina16/08/17Boletim epidemiológico aponta aumento de casos de febre de chikungunya no estado. Foto: Eduardo Seidl | Palácio Piratini O número de focos do mosquito Aedes aegypti vem crescendo em Santa Catarina. Em apenas 15 dias, 121 novos focos foram identificados no estado, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado......

Voltar para NOTÍCIAS