Postado em 10 de Julho de 2018 às 16h02

Recolhimento de Resíduos de Saúde

Gestão de Saúde (32)

Volta Redonda/RJ recolhe, em média, 16 toneladas de Resíduos de Serviços de Saúde por mês.

Seguindo orientações da ANVISA, a secretaria de Saúde de Volta Redonda, no Rio de Janeiro, iniciou, em 2017, um projeto de elaboração, implementação e capacitação sobre o Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS), com objetivo de reduzir os riscos característicos à produção dos resíduos que possam causar danos ao meio ambiente e a saúde pública. No município são recolhidos, em média, de 16 toneladas de Resíduos de Serviços de Saúde por mês.

“Os resíduos são coletados nas unidades geradoras e encaminhados até a unidade de tratamento, utilizando técnicas que garantem a preservação e a integridade dos trabalhadores, da população e do meio ambiente, por empresas terceirizadas contratadas e licenciadas para as atividades”, explicou a coordenadora do Programa de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde, Maria Cristina Azevedo.

De acordo com a secretaria, os resíduos são divididos em quatro grupos: resíduos com a possível presença de agentes biológicos que, por suas características, podem apresentar risco de infecção; resíduos contendo produtos químicos que podem apresentar risco à saúde pública ou ao meio ambiente; resíduos que não apresentam risco biológico, químico ou radiológico à saúde ou ao meio ambiente; e resíduos perfuro cortantes ou escarificantes.

O início do Programa de Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde foi em maio de 2017, com a capacitação inicial das gerentes das unidades básicas de saúde. Desde então os avanços foram inúmeros, desde a conscientização dos profissionais sobre a importância do gerenciamento correto dos resíduos, redução dos riscos inerentes a produção e acidentes envolvendo os perfuros cortantes.

“De acordo com uma política orientada pelo prefeito Samuca Silva e adotada pela secretaria municipal de saúde a adoção de um programa gerenciamento de resíduos de saúde institucionaliza procedimentos a serem seguidos pelas equipes de saúde e protege o meio ambiente e os próprios profissionais”, falou o secretário de Saúde de Volta Redonda.

Foram realizadas 63 capacitações, abrangendo as gerentes das unidades, auxiliares de serviços gerais, agentes comunitários de saúde, coordenadores das Clínicas Odontológicas Concentradas e Centros de Especialidades Odontológicas, técnicos de saúde bucal e palestra no Conselho Regional de Odontologia. Foram capacitadas 55 unidades, totalizando, 798 profissionais, envolvendo toda rede municipal de saúde de Volta Redonda.

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, falou sobre a os inúmeros benefícios do Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde. “O descarte correto dos resíduos de serviços de saúde favorecem a preservação dos recursos naturais e o atendimento aos requisitos de qualidade e de saúde pública, redução do impacto ambiental, entre outros”, disse o prefeito.

*Texto: Ana Maria Mansur / Secom VR

Veja também

Gerenciamento de Resíduos Líquidos de Serviços de Saúde19/12/18Sistemas Fechados de Aspiração de Fluidos Corpóreos. A legislação que zela pelo gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (RSS) recentemente editada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a RDC 222, classifica os fluidos corpóreos potencialmente infectados como sendo resíduos do tipo A1, ou seja, não podem ser dispensados diretamente na rede de esgotos sem tratamento......
Setembro Verde alerta para o câncer de intestino13/09/18Campanha de prevenção do câncer colorretal é uma iniciativa da Sociedade Brasileira De Coloproctologia. Idealizada inicialmente pela Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP), a campanha Setembro Verde tem o objetivo de oferecer informações gerais sobre o câncer de intestino e, principalmente, suas formas de prevenção,......
Chapecó registra primeiro óbito por meningite06/09/17Até o final de agosto deste ano, Santa Catarina confirmou 552 casos de meningites, com um total de 39 óbitos. Após a confirmação do primeiro óbito por meningite bacteriana na cidade de Chapecó, a população ficou apreensiva com a possibilidade de surgirem mais casos da doença. De acordo com a médica......

Voltar para NOTÍCIAS