Postado em 05 de Fevereiro às 14h22

Dia Mundial do Câncer

Vida Saudável (28)

O dia 4 de fevereiro é o Dia Mundial do Câncer e pesquisa alerta para que sobreviventes da doença mudem seu estilo de vida.

Sobreviver ao câncer é o principal objetivo de qualquer paciente com a doença. Pesquisa pioneira do Instituto Nacional de Câncer (INCA) mostrou que o desafio, no entanto, não termina com o fim do tratamento.

A pesquisa Compreendendo a Sobrevivência ao Câncer na América Latina: Os casos do Brasil foi desenvolvida ao longo dos anos de 2014 e 2015, com 47 indivíduos do Rio de Janeiro e Fortaleza que foram diagnosticados com câncer de próstata, de mama, do colo do útero ou leucemia linfoblástica aguda (LLA). O estudo analisou o pós-tratamento dos sobreviventes para garantir mais qualidade de vida a eles.

Um dos principais aspectos identificados foi a reavaliação que os pacientes fizeram sobre seus estilos de vida. Muitos deles deixaram de fumar e adotaram dietas mais saudáveis. Também foi percebida grande demanda de suporte emocional por parte dos sobreviventes e, principalmente, das famílias e cuidadores, que não contam com atendimento psicológico.

Depressão, problemas financeiros, dificuldade de reinserção no mercado de trabalho e o medo da recorrência da doença são apenas algumas das questões identificadas pelo estudo, que é um dos primeiros do país com enfoque, não no diagnóstico ou tratamento, mas na forma como os sobreviventes passaram a lidar com as consequências da doença.

Tratamento Integral

A gerente da Divisão de Pesquisa Populacional do Inca, Liz Maria de Almeida, afirmou que os pacientes precisam de tratamento integral, mesmo após estarem livres da doença. É uma forma de evitar complicações futuras.

“Passamos mais tempo preocupados em mantê-los vivos, só que agora é preciso pensar em como eles estão vivendo. Agora a gente precisa olhar para a qualidade de vida. A depressão, por exemplo, atrapalha a resposta ao tratamento, então o apoio psicológico é muito importante. Outra questão é a parte financeira. Durante o tratamento, o paciente para de trabalhar e se ele é o chefe da família, isso impacta fortemente a família. A pessoa que acompanha o paciente também precisa faltar o trabalho, o que acaba impactando duplamente.”

Liz Maria ressaltou outro desafio, que é oferecer informações essenciais sobre a doença para que o paciente seja o agente principal do seu tratamento.

Revista Servioeste - Saúde e Meio Ambiente “O paciente não sabe nada sobre a doença, sobre o tratamento ao qual será submetido, sobre as possíveis complicações. Talvez a gente não consiga,...

“O paciente não sabe nada sobre a doença, sobre o tratamento ao qual será submetido, sobre as possíveis complicações. Talvez a gente não consiga, de imediato, uma articulação entre todos os serviços que devem acompanhar a pessoa, mas a informação podemos oferecer.”

Para a médica oncologista Inês Gadelha, da Secretaria de Atenção à Saúde, o câncer também é um desafio para os gestores da saúde, porque é uma doença grave e com muita incidência. O câncer é a segunda maior causa de morte no Brasil, correspondendo a 17% dos óbitos, informou.

“O câncer é uma doença que atinge todos os órgãos e isso leva ao gestor da saúde um desafio enorme, que é oferecer toda a medicina. Em 2018, o tratamento do câncer foi o maior custo isolado do Sistema Único de Saúde (SUS). Foram R$ 5 bihões, sem considerar o diagnóstico, toxicologia, mamografia, e outros”, disse.

De acordo com o Inca, entender as necessidades dos sobreviventes é essencial, já que o número de pessoas que vencem a doença tem aumentado significantemente. Para 2019, o instituto estima 68.220 novos casos de câncer de próstata, 59.700 de mama, 16.370 de colo de útero e 10.800 de leucemias.

*Reportagem: Agência Brasil

Veja também

Como se alimentar melhor no inverno04/07/18Com a chegada dos dias mais frios, o apetite aumenta, pois o corpo gasta mais calorias para se manter aquecido. É comum sentirmos o apetite aumentar no inverno. Segundo a nutricionista Franciela Viau, do Hospital Universitário de Canoas, no Rio Grande do Sul, isso ocorre porque o corpo humano necessita de um maior gasto energético nos dias frios para produzir mais calor e manter a temperatura corporal normalizada. Com isso, é bastante comum que as pessoas descuidem da alimentação.......
Horta na Calçada21/07/17Curitiba autoriza cultivo de horta na calçada e prática deve ser regulamentada em breve. Uma horta cultivada na calçada no bairro Cristo Rei, em Curitiba, foi alvo de denúncias de alguns moradores insatisfeitos, que alegaram que ela atrapalhava a passagem e que era irregular, já que estava localizada numa área......
Como manter a saúde durante o inverno27/06/17Cuidado com o choque térmico ao sair de ambientes aquecidos. As variações de temperatura de um ambiente para outro necessitam de atenção especial. Ao sair da academia, por exemplo, para encarar as baixas temperaturas no ambiente externo, é fundamental agasalhar-se. Afinal, o corpo......

Voltar para NOTÍCIAS