Postado em 12 de Junho às 09h44

Junho Vermelho incentiva a doação de sangue

Vida Saudável (33)

Agendamentos oferecem segurança ao doador

O inverno é um período propício para a disseminação de doenças respiratórias. Pessoas sintomáticas não podem realizar doação. A consequência natural é a diminuição dos estoques de sangue. Para evitar que isso ocorra, no mês de junho, os hemocentros focam em campanhas educativas para estimular as doações.

Eliana Ribicki, coordenadora de captação de doadores do Hemosc Chapecó, destaca: “É a frequência com que os doadores comparecem para captação que permite o equilíbrio dos estoques. Os hemocentros dependem dos doadores regulares”.

Sabendo disso, Mário Pavin doou seu sangue regularmente por 50 anos seguidos, colaborando para o funcionamento dos hospitais de Passo Fundo (RS) e região, já que sem estoques de sangue, cirurgias e atendimentos a pacientes com doenças crônicas ou em tratamento ficam prejudicadas. Para Mário, a doação sempre foi algo natural. Agora, aos 70 anos já não pode mais doar. Contudo, durante cinco décadas, Mário esteve atento às necessidades dos hemocentros. Além de fazer o bem a centenas de pessoas, deixou um legado aos filhos, ensinando-os sobre a importância da doação regular e contínua.

Segurança

Neste momento de pandemia, a estratégia de trabalho dos hemocentros está centrada no processo de agendamento. O objetivo é assegurar o distanciamento seguro e controlar os estoques. “Intensificamos os cuidados para garantir segurança aos doadores e colaboradores e possibilitar que os estoques se mantenham em níveis seguros”, ressalta Eliana Ribicki, Hemosc Chapecó. 

A cada dois anos, o Ministério da Saúde divulga dados de pesquisa sobre o perfil do doador de sangue no Brasil. Atualmente, 1,6% da população brasileira doa sangue - 16 a cada mil habitantes.

Cada doação pode salvar até quatro vidas. Faça sua parte. Agende seu horário no hemocentro da sua região.

Veja também

Diabetes: uma doença silenciosa22/12/17Pesquisa revela que diabetes cresceu mais de 50% na última década. Por Samara Grando O número de brasileiros diagnosticados com diabetes cresceu 61,8% nos últimos 10 anos, passando de 5,5% da população em 2006, para 8,9% em 2017. O diabetes é uma doença crônica caracterizada pelo aumento da glicemia (glicose no sangue), que leva a sintomas como cansaço, excesso de sede e de urina, visão turva e emagrecimento......
Combate ao Alcoolismo18/02/19Dia marca a luta contra a dependência do álcool. Nesta segunda-feira (18), é o Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo, lembrado como um dos principais problemas de saúde pública no Brasil. De acordo com o Instituto de Estudos em Saúde Coletiva – iNESCO, cerca de 15% da......
Baixas temperaturas favorecem o surgimento de doenças respiratórias21/05/18O frio chegou e com ele também as famosas doenças do inverno. Resfriados, gripes, sinusites e asma são algumas das enfermidades comuns da estação. A mudança de temperatura, em especial no inverno, causa maior irritação e infecções das vias aéreas superiores (IVAS). Segundo o otorrinolaringologista Dr. Rodrigo Kohler, essa influência acontece, pois ficamos......

Voltar para NOTÍCIAS