Postado em 07 de Abril de 2020 às 12h54

Dia Mundial da Saúde

Vida Saudável (34)

Em meio à pandemia Covid-19, profissionais devem redobrar cuidados no manejo dos resíduos de saúde

Com o retorno de atividades ligadas a profissionais de clínicas odontológicas, de saúde, veterinárias, salões de beleza, manicures, podólogos, barbearias, medicina por imagem, dentre outros, aumenta a geração de resíduos de serviços de saúde (RSS).

Trabalhadores desses setores devem ser capacitados para a prevenção da transmissão e contaminação por agentes infecciosos, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde, que classifica o novo coronavírus como agente biológico de alto risco individual e moderado risco para a comunidade.

Profissionais de empresas caracterizadas como geradoras de resíduos de saúde devem redobrar a atenção e seguir rigorosamente os protocolos de higiene e segurança, indicados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde, devido aos riscos de contaminação biológica pelo Covid-19.

Resíduos de serviços de saúde (RSS)

O ciclo da gestão de resíduos de serviços de saúde inicia pelos profissionais diretamente vinculados ao manuseio de materiais que podem estar infectados ou conter resíduos enquadrados na Resolução 222 da Anvisa.

Os trabalhadores de serviços de saúde são responsáveis pela classificação e segregação correta e adequada dos resíduos que, posteriormente, seguirão a cadeia da gestão de resíduos conforme normas oficiais.


Orientações


Visando orientar a adoção de medidas de prevenção e controle durante a assistência a casos suspeitos ou confirmados de Covid-19, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou recomendações que vão desde o atendimento hospitalar ao tratamento de resíduos provenientes de pacientes suspeitos ou confirmados de infecção pelo Covid-19. 

O cenário de alto risco de infecção demanda cuidados especiais em todos as etapas da cadeia de produção e gestão de resíduos de saúde e envolve diferentes setores e serviços, do profissional da saúde aos profissionais das empresas responsáveis pelo tratamento e destinação correta destes materiais, com foco a evitar a proliferação da doença.

Assegure-se de seguir as recomendações de segurança, capacitação, uso de equipamentos de proteção individual e verifique se sua empresa atende às exigências legais.
 

Veja também

Viver é mais que existir23/07/19 Qualidade de vida é o termômetro para medir o desenvolvimento das cidades. Qual é a febre da sua? Keli Magri Na hora de mudar de cidade, o que mais pesa na sua escolha? Oferta de trabalho? Segurança? Índices públicos de saúde? Acesso à educação? Mobilidade urbana? A quantidade de áreas verdes? Praias? Espaços para lazer? E se......
Cuidados com as doenças de pele no verão22/12/17O câncer de pele é considerado o mais frequente no Brasil e corresponde a 30% de todos os tumores malignos estipulados no País. Por Samara Grando Com o início de dezembro, logo começam os preparativos para as férias de verão. A estação mais quente do ano é a escolhida por muitas pessoas para viajar, visitar familiares e, com isso,......
Combate ao Alcoolismo18/02/19Dia marca a luta contra a dependência do álcool. Nesta segunda-feira (18), é o Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo, lembrado como um dos principais problemas de saúde pública no Brasil. De acordo com o Instituto de Estudos em Saúde Coletiva – iNESCO, cerca de 15% da......

Voltar para NOTÍCIAS