Postado em 28 de Abril às 08h20

Resíduos da construção civil são matéria-prima para asfalto

Inovação (19)

O município de Canoas, no Rio Grande do Sul, inaugurou Usina de Reciclagem de Resíduos da Construção Civil (RCC). A ideia é reutilizar o resíduo do setor gerado no município como matéria-prima em obras públicas de pavimentação.

A usina processa 15 mil toneladas de caliça (fragmentos de argamassa, cal) por mês e converte o que poderia não ter mais serventia em insumos como pedras, areia e brita, usados como matéria-prima para obras de pavimentação, cascalhamento, drenagens e calçamento. Em média, 90% do material beneficiado é reciclado e a produção alcança 17 mil metros cúbicos mensais, o que representa economia de R$ 500 mil por mês na compra de matéria-prima para obras pelo município.

“Todo o material que antes chegava aqui como lixo, sem serventia, a partir de agora é revertido em insumos para obras do município e em renda para a população”, destaca o prefeito, Luiz Carlos Busato. A Usina emprega 130 trabalhadores em 21 hectares de estrutura dentro do Parque Industrial Jorge Lanner.

Inaugurada neste ano, a usina foi implantada em maio de 2019 e já processou mais de 30 mil metros cúbicos (3 mil caminhões) de resíduos da construção civil no município.
 

Como funciona

Para pequeno gerador de resíduos, atender a cidade tem uma rede de cinco ecopontos, além de 20 Pontos de Entrega Voluntária (PEVs), que recebem até 2m³ sem custo para o munícipe. Os resíduos são coletados por caminhões e retro escavadeiras e destinados ao Parque Industrial. O Parque Industrial de Canoas recebe cerca de

A triagem diária de 80 caminhões de resíduos os divide em três classes:

Classe A estão os reutilizáveis na construção civil, como blocos, concreto, argamassa, terra e areia.

Classe B é constituída de recicláveis como plástico, papelão, ferro, vidro e madeira.

Classe C é composta por materiais não recicláveis, como resíduo orgânico e amianto.

Os materiais que recebem a classificação A seguem para a britagem e peneiramento, que separa o conteúdo em tamanhos diferentes (granulometrias) para reciclagem. Depois de reciclados, os resíduos são transformados em agregados como pó de pedra, pedrisco, brita e rachão que são reutilizados em obras públicas.

O projeto da Usina de Canoas ganhou destaque no País ao receber homenagem da Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição (Abrecon), no ano passado. A entidade reconheceu a importância da iniciativa para a preservação do meio ambiente e os benefícios para a economia circular.

A meta do município é ofertar o serviço de reciclagem a outras cidades como alternativa à sustentabilidade ambiental e à econômica de toda a Região Metropolitana.

Veja também

Fatma usará drones no licenciamento ambiental23/11/17Técnicos da Fatma vão utilizar pela primeira vez drones no licenciamento ambiental. Técnicos da Fundação do Meio Ambiente (Fatma) vão utilizar pela primeira vez Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs), conhecidos como drones, no licenciamento ambiental. A ação ocorre nesta quinta-feira, 23, durante vistoria do Complexo Eólico Contestado, em Água Doce, região Oeste do Estado de Santa Catarina. “A Fatma foi......
O lixo como adubo22/12/17Hospital Moinhos de Vento inova com projeto de compostagem acelerada. Por Katiane Marques Nascido da vontade de imigrantes alemães em reproduzir na capital gaúcha a qualidade das instituições de saúde da Europa, o Hospital Moinhos de Vento figura na seleta lista do Ministério da......
App Casan SC23/05/18Casan lança aplicativo para facilitar a vida dos usuários catarinenses. Em Santa Catarina, o cidadão que desejar agora pode solicitar pelo celular serviços da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), relacionados a água, esgoto, consumo, faturas e outros serviços. O novo canal de......

Voltar para NOTÍCIAS