Postado em 03 de Junho de 2020 às 17h40

Lixo Zero

Notícias (4)Educação Ambiental (23)

A Revista Servioeste apresenta ideias simples de pessoas e instituições engajadas na busca por um mundo mais saudável. Hoje, você vai conhecer a iniciativa do 2º Batalhão da Polícia Militar Ambiental de Chapecó/SC.

Lixo Zero

Copos plásticos não existem mais, assim como as lixeiras foram extintas das salas. A emissão de documentos passou a ser feita somente via sistema eletrônico. A mudança no comportamento dos 35 policiais do 2º Batalhão da Polícia Militar Ambiental, de Chapecó/SC, tem resultados expressivos e dignos de comemoração: 92% a menos de resíduos descartados.

Além de um ambiente mais limpo e organizado, as iniciativas tornaram o quartel o primeiro do Brasil a receber o certificado Lixo Zero, que é o conceito de um movimento mundial baseado nos princípios da logística reversa: repensar, reutilizar, reduzir e reciclar.

“Foi preciso sair da zona de conforto. Só depois de esgotar todas as possibilidades de reaproveitamento é que o resíduo vai para o aterro. Em média, produzimos por mês 43 quilos e resíduos orgânicos e 65 quilos de recicláveis”, explica o Tenente-coronel e Comandante do Batalhão, Adair Alexandre Pimentel.

Todo resíduo produzido no quartel vai para uma central onde é devidamente separado e recebe a destinação correta. O que é orgânico vai para a compostagem e se transforma em adubo para a produção de hortaliças; o que pode ser reciclado é encaminhado para a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis (ARSOL). Folhas de ofício são reutilizadas e os papeis que precisam ser descartados são triturados, pois se amassados, perdem o valor da reciclagem. A emissão de qualquer documento passou a ser feita online e a agenda de papel foi substituída pela eletrônica.

“Nos tornamos exemplo de sustentabilidade, pois estamos comprometidos com um ambiente equilibrado para as próximas gerações. Nós também temos um programa de formação de protetores ambientais, apoiamos iniciativas de preservação e queremos inspirar instituições públicas e privadas a serem responsáveis com o meio ambiente”, conclui Pimentel.

A mudança de hábitos começa por você. Repense, compartilhe, recicle, reduza!

Leia aqui sobre a iniciativa do Armário Coletivo, de Florianópolis.

Veja também

A Vida no fundo do Mar13/10/17Maior aquário marinho da América do Sul de portas abertas no Porto do Rio. O ecossistema marinho causa certo fascínio em muitas pessoas. É possível aprender sobre os oceanos e seus habitantes através de livros e documentários, por exemplo, mas nada se compara a experiência de observar de pertinho esses seres tão peculiares. De polvos a corais, de tubarões e raias a águas vivas, de tartarugas a cavalos-marinhos. A......
Bitucas que matam09/07/19 Vilão da saúde e do meio ambiente, cigarro ultrapassa o plástico na poluição dos oceanos. Descarte correto evita contaminação e incentiva reciclagem Keli Magri Ao inalar fumaça, o fumante......

Voltar para NOTÍCIAS