Postado em 22 de Abril de 2019 às 16h15

Dia do Planeta Terra

Resp. Ambiental (35)

O Dia do Planeta Terra foi criado para conscientizar a humanidade sobre as maravilhas da grande esfera azul

Por Tuanny de Paula

Com uma rotação de 24 horas contínuas, o Planeta Terra estabelece a movimentação dos humanos a todo momento. Enquanto um lado está aproveitando o calor solar, o outro desfruta da luz lunar. A grande bola azul do universo faz com que a vida humana viva e sobreviva. E para lembrar da importância disso, desde 22 de abril de 1970, começou-se a celebrar o Dia do Planeta Terra.

A data serve para refletir e conscientizar a população sobre as marcas que deixa no mundo, pois elas surtem efeitos a curto, médio e longo prazo e estão cada vez mais preocupantes. Aquecimento global, efeito estufa, desastres naturais, dentre tantos outros acontecimentos são avisos da natureza para o que está acontecendo. 

Queira ou não, pautas como a sustentabilidade precisam e ganham espaços nos debates da sociedade. São discutidas soluções ambientais, sociais e econômicas que auxiliam na preservação da vida na Terra e consequentemente no bem-estar da população.

Segundo a organização WWF Brasil (World Fund for Nature), existem diversas formas de contribuir para a preservação do meio ambiente com um estilo de vida mais equilibrado. Dentre essas atitudes estão a alimentação e o consumo, que podem ser reduzidos para evitar sobras que serão descartadas como lixo.

O transporte também é uma atitude apontada pela organização. Os automóveis são os maiores responsáveis pelas emissões de gases de efeito estufa. Por isso, cada vez mais as bicicletas e veículos alternativos estão ganhando espaços nas casas e ruas das cidades.

O cultivo de árvores e hortas caseiras também são ações que podem ser pensadas e realizadas pela população. A árvore é um elemento simbólico do Dia da Terra e as plantas têm um papel fundamental para o meio ambiente, pois são capazes de reter dióxido de carbono, diminuir a poluição do ar, além de nos oferecer alimentos e sombra.

Veja também

Atraso na erradicação dos lixões compromete a saúde pública, meio ambiente e economia24/11/20 Desde 2014, lixões a céu aberto deveriam ter sido erradicados nos municípios de todo o país, de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) instituída pelo governo federal em 2010. Porém, quando chegamos à expiração do prazo, 60% das prefeituras não haviam cumprindo a determinação, encaminhando......
Revista Servioeste é finalista do Prêmio IMA de Jornalismo Ambiental26/11/18Reportagem sobre a destinação final dos resíduos sólidos urbanos é finalista do 11º prêmio do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina. A Revista Servioeste é uma das finalistas da 11ª edição do Prêmio IMA de Jornalismo Ambiental, promovido pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), com a reportagem O Destino dos Excedentes, da jornalista Carol......
Mercado Eco Fashion!18/12/19 Moda sustentável ganha as prateleiras e desperta indústria têxtil para produção e consumo conscientes Por Keli Magri Quantas peças de roupa nova você compra por ano? Qual o tempo de uso delas? O que......

Voltar para NOTÍCIAS