Postado em 12 de Abril de 2018 às 16h19

Como estúdios de tatuagem devem gerenciar seus resíduos

Gestão de Saúde (33)

Empreendimentos também são geradores de resíduos de serviços de saúde.

Revista Servioeste Saúde e Meio Ambiente Empreendimentos também são geradores de resíduos de serviços de saúde. A manipulação dos resíduos perfurocortantes com agentes biológicos pode causar acidentes, levando à...

A manipulação dos resíduos perfurocortantes com agentes biológicos pode causar acidentes, levando à contaminação da população, caso os Resíduos de Serviços de Saúde (RSS) estejam mal acondicionados e tenham um destino final inadequado. Os estúdios de tatuagem, por exemplo, são locais que devem seguir as normas de higiene e segurança exigidas no manuseio dos resíduos.

O descarte do material residual do processo de tatuagem deve seguir as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da mesma forma que o descarte de materiais dos hospitais e clínicas médicas. Isso porque, tanto as agulhas quanto as luvas e tintas, acabam contendo resíduos de sangue e apresentam, portanto, potencial de contaminação aos profissionais envolvidos no recolhimento do lixo e ao meio ambiente.

“Assim como em estabelecimentos de saúde, os estúdios de tatuagem também precisam segregar e acondicionar seus resíduos conforme a periculosidade que eles apresentam, para que o destino final seja o correto. Geralmente são resíduos do Grupo A (potencialmente infectantes, com presença de agentes biológicos), Grupo B (tintas) e do Grupo E (perfurocortantes, como agulhas e seringas)”, explica a engenheira ambiental do Grupo Servioeste, Caroline Beutler.

Veja também

Home Care em alta09/07/19 Assistência médica domiciliar cresce no Brasil e abrange mais de 670 empresas e 230 mil profissionais Keli Magri Há mais de um século, uma cena era comum em pequenas e grandes cidades: o médico da família ou o responsável pela saúde pública local, costumava ir até a casa dos pacientes para prestar atendimento. Diagnóstico,......
CFM regulamenta telemedicina no país05/02/19Atendimento deverá ser gravado e paciente terá de autorizar uso do método. Médicos brasileiros vão poder realizar consultas online, telecirurgias e telediagnóstico, entre outras formas de atendimento à distância, conforme a Resolução nº 2.227/18, do Conselho Federal de Medicina......
Lean Healthcare e segurança do paciente13/10/17O conhecimento Lean tem sido importante elemento transformador da maneira como se pensa e pratica gestão em saúde, com o foco no paciente. Edson Stakonski – Diretor técnico e coordenador médico da Gestão da Qualidade da Unimed Chapecó, especialista em Cardiologia | CRM: 11648 Fábio Redin – Coach High Performance Executive e diretor executivo da......

Voltar para NOTÍCIAS