Postado em 26 de Outubro de 2017 às 16h38

SC regulamenta uso de agrotóxicos

Resp. Ambiental (31)

Governo de Santa Catarina assina decreto que regulamenta uso de agrotóxicos.

O governador Raimundo Colombo e o secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa participaram do ato de assinatura do decreto número 1.331 que lança o novo marco regulatório dos agrotóxicos no estado.

O documento regulamenta o controle da produção, comércio, uso, consumo, transporte e armazenamento de agrotóxicos, seus componentes e afins, em todo o território de Santa Catarina. Trata também da fiscalização da produção, da manipulação, da destinação final das embalagens vazias e do monitoramento de resíduos de agrotóxicos e afins em produtos vegetais. Prevê que todo o processo de cadastro e registro passe a ser feito de maneira informatizada. E passa a responsabilidade da fiscalização do uso de agrotóxicos, que antes era da Fundação do Meio Ambiente (Fatma), para a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc). “O decreto é uma forma de normatizar o setor, garantindo produtos mais seguros para a população e cuidando da saúde dos nossos produtores e também do meio ambiente”, avaliou Sopelsa.

Os principais avanços deste decreto

  • A mudança no órgão responsável pela fiscalização do uso de agrotóxicos em Santa Catarina, passando da FATMA para CIDASC essa atribuição, porém, ficando a FATMA responsável pelos casos onde haja crimes ambientais relacionados ao uso desses produtos;
  • A regulamentação da adoção de sistemas informatizados que visam diminuir a burocracia quanto aos registros de empresas, cadastro de agrotóxicos e principalmente no envio de informações obrigatórias aos órgãos competentes como a receita agronômica e o controle de estoque;
  • A regulamentação clara das responsabilidades e deveres de todos os agentes envolvidos nos processos que envolvam os agrotóxicos, corrigindo distorções e falhas do decreto anterior;
  • A flexibilização na aplicação de sanções administrativas levando em conta os atenuantes e agravantes da situação posta e da condição socioeconômico cultural dos envolvidos.

Veja também

Esgotamos os recursos naturais disponíveis para 201703/08/17O dia em que o Mundo atinge o limite do uso sustentável de recursos naturais para o ano chega cada vez mais cedo. A cada ano, os seres humanos esgotam mais cedo os recursos naturais do planeta. É como um orçamento ambiental, quando a demanda anual da humanidade por recursos excede o que o planeta Terra é capaz de regenerar naquele ano. Em 2017, o Dia da Sobrecarga da Terra, tradução de Earth Overshoot Day, foi nesta quarta-feira (2), a data mais precoce desde que estouramos nosso......
Consumo Colaborativo27/07/17Baseado em ajuda mútua e responsabilidade socioambiental, esse novo tipo de consumo tem em sua essência o compartilhamento e a troca de experiências. O consumo consciente é tido como uma prática sustentável que permite o reaproveitamento do produto para a mesma ou outra finalidade. Sem uma estrutura de oferta e demanda rígida e limitada, sem uso de moeda fixa, o comércio......
Pará terá primeiro viaduto do País para travessia da fauna26/06/17Como uma ponte para ajudar a passagem da vida selvagem com segurança pelas vias, projeto visa diminuir o atropelamento de animais. Visando reduzir o número de atropelamentos de animais nas rodovias, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) concedeu uma determinação a favor da Licença de Instalação......

Voltar para NOTÍCIAS