Postado em 22 de Dezembro de 2017 às 10h31

O lixo como adubo

Inovação (15)

Hospital Moinhos de Vento inova com projeto de compostagem acelerada.

Por Katiane Marques

Nascido da vontade de imigrantes alemães em reproduzir na capital gaúcha a qualidade das instituições de saúde da Europa, o Hospital Moinhos de Vento figura na seleta lista do Ministério da Saúde dos hospitais de excelência do Brasil e no ranking dos melhores hospitais da América Latina.

Com noventa anos de tradição - completados no último dia 2 de outubro – a história do Hospital Moinhos de Vento é marcada pela qualidade médico-assistencial e pela busca contínua em inovação e tecnologia de ponta aplicadas na saúde. O hospital foi o primeiro do país a filiar-se à Johns Hopkins Medicine International – um dos principais organismos na atenção e inovação em saúde dos Estados Unidos e foi certificado por seis vezes consecutivas pela Joint Commission International. Atualmente são 3.400 colaboradores e cerca de 3 mil profissionais no corpo clínico.

Como qualidade é um tema que se aplica em todas as áreas do Moinhos de Vento, o conceito de inovação chegou também na gestão ambiental que, inconformada com o descarte anual de toneladas de resíduos em aterros sanitários - além do alto custo para esse encaminhamento - é que foi desenvolvido o Projeto de compostagem acelerada dos restos alimentares.

Diariamente os pacientes, visitantes e colaboradores geram aproximadamente 500 quilos de sobras de alimentos. Quando a matéria orgânica não é tratada corretamente, ela pode ocasionar problemas ambientais como a geração de chorume, o aumento dos resíduos em aterros sanitários, além da contaminação do solo e dos animais em situação de rua que se alimentam de restos.

Para dar vida ao projeto, o hospital investiu cerca de 80mil reais em tecnologia desenvolvida e personalizada para atender a instituição. Através deste equipamento e com a ajuda de enzimas, calcário e serragem, a matéria é degradada em alta temperatura durante uma hora. Depois de cinco dias, ao final do processo, o resultado obtido é humus – adubo orgânico e natural que traz muitos benefícios ao solo e o principal deles é o melhoramento de suas propriedades físicas.

Revista Servioeste - Saúde e Meio Ambiente O processo natural de compostagem leva em torno de 90 dias para se obter um resultado satisfatório, enquanto que na compostagem acelerada desenvolvida pelo Hospital Moinhos o humus está...

O processo natural de compostagem leva em torno de 90 dias para se obter um resultado satisfatório, enquanto que na compostagem acelerada desenvolvida pelo Hospital Moinhos o humus está pronto em cinco dias e 500 quilos de restos alimentares se transformam em 200 quilos de húmus.

“Dentro do nosso conceito de sustentabilidade, tudo se transforma. Assim, o adubo orgânico retorna para dar vida ás flores do bosque e às culturas da nossa horta, que retornam como alimentos para o refeitório dos colaboradores com um sabor todo especial”, explica Rogério Almeida da Silva, responsável pela Gestão Ambiental do Hospital Moinhos de Vento.

Desde que o projeto entrou em prática, em dezembro de 2016, toda produção de húmus é absorvida pelo Hospital Moinhos que utiliza o insumo nos jardins, bosque e na horta orgânica. O bosque corresponde a 10% da área total do hospital. São aproximadamente 800 árvores de 86 espécies diferentes que abrigam cerca de 28 espécies de aves nativas e migratórias. Já a horta fornece temperos, hortaliças, chás e vegetais 100% orgânicos para o refeitório dos colaboradores. A produção do cultivo supri 65% da demanda do serviço de nutrição, mas a intenção é chegar a auto suficiência.

Atendendo aos princípios da filosofia de sustentabilidade do Hospital Moinhos, outros projetos inovadores também chamam a atenção. É o caso do bumerangue. Nesse projeto, os resíduos com alto poder reciclável como papel e plástico são transformados em insumo como papel higiênico e sacos de lixo que atendem a ala administrativa do hospital. Assim como no projeto de compostagem acelerada, o bumerangue também acontece nas dependências do hospital, transformando resíduos em insumos, diminuindo o impacto ambiental e gerando grande economia.

 

*Fotos: Critério Assessoria de Comunicação

Revista Servioeste - Saúde e Meio Ambiente - Projeto Compostagem Acelerada dos Restos Alimentares
Projeto Compostagem Acelerada dos Restos Alimentares

Veja também

Mobilidade Urbana Limpa13/10/17Brasil caminha a passos lentos para uma estrada pavimentada pela sustentabilidade. Pensar em meios não poluentes de transporte é mais que uma necessidade. Já é uma obrigação mundial, pois a poluição afeta não apenas o meio ambiente, mas compromete a saúde de toda a população. Na França, por exemplo, o ministro do Meio Ambiente, Nicolas Hulot, afirmou que vai banir a comercialização de carros......
Pequenos guerreiros!25/09 A cada dia surgem 32 novos casos de câncer infantil no Brasil. Apesar do drama vivido pelas famílias, a resposta ao tratamento da doença é melhor nesta fase da vida e as chances de cura são de 70% Angela......
Tijolo Verde13/10/17Tecnologias são colocadas em prática para gerar soluções com menor impacto ambiental dentro da construção civil. Por Carol Bonamigo Extração de matéria prima da natureza, produção de materiais, construção de edificações. Esses são apenas alguns dos inúmeros processos que requerem para a......

Voltar para NOTÍCIAS