Postado em 13 de Outubro de 2017 às 15h03

O aroma das flores

Vida Saudável (28)

A chegada da primavera aumenta os riscos de doenças respiratórias.

Durante a primavera o cenário se transforma, árvores florescem e a temperatura se eleva. Além da beleza, a estação das flores traz consigo doenças alérgicas aos indivíduos previamente sensibilizados aos pólens. Espirros, coriza, coceira no nariz, irritação na garganta e tosse são alguns sinais que podem aumentar nesta época do ano.

“As doenças alérgicas mais comuns durante a primavera são: rinites, conjuntivites e asma, que poderão aparecer isoladamente ou associadas. Exemplo muito comum são os indivíduos portadores de Rinoconjuntivites”, explica o alergista e imunologista Carlos Siqueira.

Conforme o médico, nessa época do ano haverá migração de pólens, principalmente, carreados através do vento, para longas distâncias e que, quando atingem indivíduos sensibilizados e alérgicos, resultarão em sinais ou sintomas de suas doenças.

As maiores concentrações de pólens no ar ocorrem no período da manhã, diminuindo no decorrer do dia e aumentando, posteriormente, no período vespertino. “A profilaxia é particularmente difícil. Evitar ou diminuir a exposição ao meio externo é complicado devido à necessidade da permanência dos indivíduos no meio ambiente exterior, em atividades de trabalho e lazer. Nos dias secos, quentes e com presença de ventos é recomendável ao paciente permanecer em ambiente fechado, utilizar óculos, principalmente, quando do uso de moto ou bicicleta, manter janelas fechadas em automóveis, evitar passeios em clubes de campo, cortar grama ou realizar trabalhos de jardinagem”, indica Siqueira.

Ao apresentar os sintomas, os portadores de doenças alérgicas devem procurar seu médico, preferencialmente, um especialista, para que possam ser orientados e medicados de maneira adequada, de acordo com sua doença. “Qualquer indivíduo poderá desenvolver, em qualquer época de sua vida, portanto, em qualquer idade, uma doença alérgica. Em relação às alergias aos pólens, a sensibilização se dá, mais comumente, em adolescentes e adultos jovens, mas não exclusivamente nestas idades”, lembra o alergista.

Veja também

No mundo da lua09/07 Desatenção, procrastinação ou excesso de energia. Para alguns pode ser algo normal do dia a dia, mas para outros vai muito além disso: é diagnóstico para Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade. Por Tuanny de Paula Inquietação. Mãos remexendo. Perna balançando. Esse comportamento é algo......
Horta na Calçada21/07/17Curitiba autoriza cultivo de horta na calçada e prática deve ser regulamentada em breve. Uma horta cultivada na calçada no bairro Cristo Rei, em Curitiba, foi alvo de denúncias de alguns moradores insatisfeitos, que alegaram que ela atrapalhava a passagem e que era irregular, já que estava localizada numa área......
Dia Mundial de Luta contra a Aids01/12/17HIV entre adultos jovens cresce 43% em Santa Catarina nos últimos três anos, alerta Secretaria da Saúde. No Dia Mundial de Luta contra a Aids, celebrado em 1º de dezembro, a Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina (SES/SC) alerta para o crescimento do número de casos de infeções pelo HIV, o vírus da Aids,......

Voltar para NOTÍCIAS