Postado em 30 de Novembro de 2018 às 10h35

Ministério da Saúde lança campanha de Luta Contra a AIDS

Gestão de Saúde (28)

Através de plataforma online e interativa, internauta pode ajudar a construir a história do HIV e celebrar a vida após 30 anos de luta contra AIDS.

Há 30 anos, no dia 27 de outubro de 1988, a Assembleia Geral da ONU e a Organização Mundial de Saúde instituíram o dia 1º de dezembro como o Dia Mundial de Luta contra a Aids. Cinco anos após a descoberta do vírus causador da Aids, o HIV, 65,7 mil pessoas já tinham sido diagnosticadas com o vírus, e 38 mil já tinham falecido.

Para marcar a data e relembrar as lutas e todas as conquistas na resposta global ao HIV, o Ministério da Saúde vai cobrir a Esplanada dos Ministérios da Saúde com um imenso mosaico formado por colchas de retalhos. Essa era uma prática na década de 80 para lembrar as vítimas da Aids.

As colchas serão feitas por qualquer pessoa que queira participar e deixar marcada a sua contribuição na luta contra a epidemia que ainda não foi vencida, apesar dos avanços conquistados até aqui. Será também um espaço plural para deixar registrado seu compromisso para combater o preconceito, o estigma e a desinformação em torno do HIV/Aids.

Revista Servioeste - Saúde e Meio Ambiente “Algumas pessoas lutaram muito, mas se foram muito rapidamente sem terem conhecido as opções de tratamento e de prevenção que temos hoje. É preciso homenagear...

“Algumas pessoas lutaram muito, mas se foram muito rapidamente sem terem conhecido as opções de tratamento e de prevenção que temos hoje. É preciso homenagear esses, mas também aqueles que resistiram ao vírus e se tornaram ativistas ou protagonistas nessa história, fazendo com que a resposta brasileira fosse exemplo para o mundo”, destaca a diretora do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV), Adele Benzaken.

O tempo passou e hoje é possível viver com o HIV, mas a Aids ainda é uma realidade. Atualmente, 75% das pessoas vivem com o vírus e conhecem seu estado sorológico. A meta da ONU é garantir que até 2020 esse número chegue a 90%, e desses, pelo menos 90% dessas pessoas recebam tratamento e entre os que recebem tratamento, 90% tornem indectáveis – estado em que a pessoa não transmite o vírus e consegue manter qualidade de vida sem manifestar os sintomas da Aids.

*Informações: Ministério da Saúde

Veja também

Região sul terá um dos maiores hospitais do sistema Unimed12/06/17O novo Hospital Unimed Chapecó, primeiro do sistema Unimed na região Sul, está em franco crescimento, ampliando as áreas de atendimento e instalações. Preocupada com a evolução constante, porém cautelosa com o processo de crescimento e os gastos envolvidos nesta operação, a atual diretoria do Hospital Unimed Chapecó iniciou as ações de ampliação do seu complexo em etapas de construção que permitam o gerenciamento dos investimentos dentro de um cronograma de empenhos......
A medicina que voa25/09 Surgido na Primeira Guerra Mundial, serviço aeromédico cresce como braço do atendimento pré-hospitalar móvel e reduz tempo de resgate e número de mortes no mundo Keli Magri Quanto tempo é......
Recolhimento de Resíduos de Saúde10/07/18Volta Redonda/RJ recolhe, em média, 16 toneladas de Resíduos de Serviços de Saúde por mês. Seguindo orientações da ANVISA, a secretaria de Saúde de Volta Redonda, no Rio de Janeiro, iniciou, em 2017, um projeto de elaboração, implementação e capacitação sobre o Plano de Gerenciamento de......

Voltar para NOTÍCIAS