Postado em 22 de Novembro de 2018 às 16h05

Mês voltado à saúde do homem

Vida Saudável (34)

Novembro Azul atenta para a prevenção ao câncer de próstata.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer – INCA, o câncer de próstata é a segunda maior causa de morte pela doença em homens no Brasil (ficando atrás apenas do câncer de pulmão). Estima-se que mais de 68 mil novos casos serão diagnosticados em 2018. Para alertar para a prevenção, a campanha Novembro Azul – inspirada no movimento internacional Movember – vem promover um mês inteiro de mobilizações focadas na saúde do homem.

“O objetivo principal deste movimento é fazer com que o homem pare de morrer precocemente. Os homens não costumam ter consultas de rotinas, como as mulheres, e se cuidam menos. O câncer é hoje uma das principais causas de óbito evitáveis abaixo dos 70 anos e estatísticas nos mostram que ele será a principal barreira do século 21 para o aumento da expectativa de vida”, explica a cirurgião oncologista Cristiano Vendrame.

O câncer de próstata é, mais do que qualquer outro tipo, considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. Na fase inicial, o câncer de próstata pode não apresentar sintomas, por isso, ao atingir a idade de risco, recomenda-se realizar exames de rotina que podem ajudar a identificar o câncer de próstata logo no inicio da doença, aumentando assim a chance de sucesso no tratamento. “É preciso quebrar algumas barreiras e tabus quanto ao exame da próstata e conscientizar os homens a procurar um urologista a partir dos 40 anos para fazer um acompanhamento”, salienta Dr. Vendrame.

Segundo o INCA, ter pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos pode aumentar o risco de se ter a doença de 3 a 10 vezes comparado à população em geral, podendo refletir tanto fatores genéticos (hereditários) quanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias.

O Instituto estima, para o biênio 2018-2019, a ocorrência de 600 mil casos novos de câncer, para cada ano. Tirando o câncer de pele não melanoma (cerca de 170 mil casos novos), serão 420 mil casos novos de câncer, desses, os mais incidentes em homens serão próstata (31,7%), pulmão (8,7%), intestino (8,1%), estômago (6,3%) e cavidade oral (5,2%).

Conforme dados da Organização Mundial da Saúde – OMS, aproximadamente 30% das mortes provocadas pelo câncer poderiam ter sido evitadas, caso o paciente tivesse feito o diagnóstico prematuramente, ou com ações preventivas para garantir hábitos mais saudáveis.

Novembro Roxo - Mês também alerta para os cuidados com o câncer de pâncreas

Revista Servioeste Saúde e Meio Ambiente Novembro Roxo - Mês também alerta para os cuidados com o câncer de pâncreas O "November Purple" (Novembro Roxo) é um movimento mundial para a conscientização e alerta para o...

O "November Purple" (Novembro Roxo) é um movimento mundial para a conscientização e alerta para o câncer de pâncreas. A doença possui incidência igual tanto em homens quanto em mulheres e mais da metade dos casos são diagnosticados em atendimentos de urgência/emergência.

Mesmo com uma estimativa de que uma a cada 70 pessoas irá desenvolver câncer de pâncreas, menos de 3% da verba destinada à pesquisa do câncer é para este tipo. Cerca de 80% dos casos de câncer ocorrem na cabeça do pâncreas, 15% no corpo e 5% na cauda. Nos pacientes diagnosticados a tempo de serem submetidos a remoção cirúrgica a sobrevida em cinco anos aumenta em 30%.

“Esse é o câncer que tem a maior taxa de letalidade proporcional. Tem como fatores de risco o tabagismo, a obesidade, a hereditariedade, pancreatite crônica e a diabetes. Os sintomas são um tanto quanto vagos, por isso devemos prestar muito atenção aos sinais de fadiga e fraqueza crônicas, perda de peso inexplicável, olhos e pele amarelados e dor leve nas costas”, orienta o cirurgião oncologista.

O pancreas é um órgão que tem a função de secretar hormônios que regulam os níveis de açúcar no metabolismo e enzimas que auxiliam na digestão, ele fica próximo ao estômago e ao duodeno (primeira porção do intestino delgado).

No Brasil, o câncer de pâncreas é responsável por cerca de 2% de todos os tipos de câncer, e por 4% do total de mortes. É raro antes dos 30 anos, segundo a União Internacional Contra o Câncer (UICC), os casos da doença aumentam com o avanço da idade, mais comum a partir dos 60 anos.

O maior problema do câncer de pâncreas é que costuma dar sintomas tardiamente e, ao ser diagnosticado, não é infrequente a presença de metástases ou invasão de estruturas próximas, tornando-o irressecável. “A cirurgia é a principal forma de tratamento do câncer de pâncreas. E com o diagnóstico precoce, as taxas dos resultados de cura são melhores”, afirma Dr. Vendrame.

Veja também

Como manter a saúde durante o inverno27/06/17Cuidado com o choque térmico ao sair de ambientes aquecidos. As variações de temperatura de um ambiente para outro necessitam de atenção especial. Ao sair da academia, por exemplo, para encarar as baixas temperaturas no ambiente externo, é fundamental agasalhar-se. Afinal, o corpo está aquecido em função dos exercícios e do ambiente fechado e o impacto entre frio e calor pode facilitar o aparecimento de......
Diabetes: uma doença silenciosa22/12/17Pesquisa revela que diabetes cresceu mais de 50% na última década. Por Samara Grando O número de brasileiros diagnosticados com diabetes cresceu 61,8% nos últimos 10 anos, passando de 5,5% da população em 2006, para 8,9% em 2017. O diabetes é uma doença crônica......
Boa alimentação para saúde muscular e óssea15/12/17Conheça mais sobre a importância da Vitamina D para a saúde muscular e óssea. Os hábitos alimentares e outros fatores do estilo de vida desempenham papel importante na determinação da saúde dos ossos ao longo da vida e, assim como o cálcio, a vitamina D é essencial para manter a......

Voltar para NOTÍCIAS