Postado em 03 de Junho de 2020 às 17h40

Lixo Zero

Notícias (4)Educação Ambiental (23)

A Revista Servioeste apresenta ideias simples de pessoas e instituições engajadas na busca por um mundo mais saudável. Hoje, você vai conhecer a iniciativa do 2º Batalhão da Polícia Militar Ambiental de Chapecó/SC.

Lixo Zero

Copos plásticos não existem mais, assim como as lixeiras foram extintas das salas. A emissão de documentos passou a ser feita somente via sistema eletrônico. A mudança no comportamento dos 35 policiais do 2º Batalhão da Polícia Militar Ambiental, de Chapecó/SC, tem resultados expressivos e dignos de comemoração: 92% a menos de resíduos descartados.

Além de um ambiente mais limpo e organizado, as iniciativas tornaram o quartel o primeiro do Brasil a receber o certificado Lixo Zero, que é o conceito de um movimento mundial baseado nos princípios da logística reversa: repensar, reutilizar, reduzir e reciclar.

“Foi preciso sair da zona de conforto. Só depois de esgotar todas as possibilidades de reaproveitamento é que o resíduo vai para o aterro. Em média, produzimos por mês 43 quilos e resíduos orgânicos e 65 quilos de recicláveis”, explica o Tenente-coronel e Comandante do Batalhão, Adair Alexandre Pimentel.

Todo resíduo produzido no quartel vai para uma central onde é devidamente separado e recebe a destinação correta. O que é orgânico vai para a compostagem e se transforma em adubo para a produção de hortaliças; o que pode ser reciclado é encaminhado para a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis (ARSOL). Folhas de ofício são reutilizadas e os papeis que precisam ser descartados são triturados, pois se amassados, perdem o valor da reciclagem. A emissão de qualquer documento passou a ser feita online e a agenda de papel foi substituída pela eletrônica.

“Nos tornamos exemplo de sustentabilidade, pois estamos comprometidos com um ambiente equilibrado para as próximas gerações. Nós também temos um programa de formação de protetores ambientais, apoiamos iniciativas de preservação e queremos inspirar instituições públicas e privadas a serem responsáveis com o meio ambiente”, conclui Pimentel.

A mudança de hábitos começa por você. Repense, compartilhe, recicle, reduza!

Leia aqui sobre a iniciativa do Armário Coletivo, de Florianópolis.

Veja também

SOS Amazônia!25/09/19 Em 50 anos, maior floresta tropical do mundo já perdeu 20% do seu território pelo desmatamento. Extração ilegal, queimadas e conversão em pastagem ou plantio comprometem economia brasileira e impactam no clima mundial Por Keli Magri Além de fabricar chuva e irrigar o país inteiro, a Floresta Amazônica possui flora e fauna com potencial medicinal,......
Vegetarianismo, sustentabilidade e saúde humana23/07/19 Atualmente quase 30 milhões de brasileiros se consideram vegetarianos. O estilo de alimentação ganha adeptos com diferentes pontos de vista, mas com objetivos em comum: promover a sustentabilidade do mundo e a saúde humana Por......
Um olhar além da reciclagem18/12/19 Economia circular otimiza e prolonga uso de recursos e desponta como novo modelo econômico. Portugal lidera proposta que elimina desperdício e permite regeneração de materiais Keli Magri Como é seu consumo dentro......

Voltar para NOTÍCIAS