Postado em 20 de Junho de 2018 às 14h34

Lançado projeto Bikeco em Canoas/RS

Gestão Pública (20)

Bicicletas ecológicas serão alternativas às carroças, que estão proibidas no Centro da cidade.

A Prefeitura de Canoas, no Rio Grande do Sul, lançou nesta terça-feira (19) o projeto "Bikeco", iniciativa que integra o Programa Canoas Sem Carroças. Após a proibição da circulação das carroças no Centro, aprovada por unanimidade na Câmara de Vereadores, a Prefeitura trabalha para oferecer alternativas aos carroceiros. No Centro, os recicladores interessados se cooperaram à Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de Canoas (Coopcamate).

A Coopcamate recebeu dez bicicletas ecológicas, acopladas a gaiolas, onde serão armazenados os resíduos recicláveis coletados na região central de Canoas. As bicicletas, batizadas de "Bikecos", serão utilizadas como instrumento de trabalho pelos coletores, que atuarão uniformizados e identificados pela cooperativa. O coordenador da Coopcamate, Flávio Aguiar, destacou que os Bikecos começam a circular após um período de construção conjunta entre cooperados, lojistas do Centro e representantes da Prefeitura de Canoas. "Esse ato é o início de uma grande caminhada e em nome da cooperativa agradecemos a disposição de todos os envolvidos. Muitas famílias carentes serão beneficiadas pela coleta dos resíduos e estamos de portas abertas para os catadores autônomos que quiserem se unir a nós".

O coordenador do Programa Canoas Sem Carroças, Alex Szekir, ressaltou que o projeto é uma política pública abrangente que prevê uma série de ações que vão muito além da simples proibição da circulação dos veículos de tração animal (VTA). Entre elas, o cadastramento social de carroceiros, ações de qualificação e de inserção no mercado de trabalho dos condutores de VTA, adequação e qualificação da coleta seletiva de resíduos sólidos na região onde está sendo implantado o programa, melhorias na mobilidade urbana e defesa animal.

"Desde 2015 vinha crescendo o movimento pelos animais, que ao contrário de nós, não têm voz. O Executivo havia proposto a proibição das carroças em oito anos. Agora, apresentamos esse projeto, a partir de uma nova iniciativa desta gestão, que abreviou o prazo para a proibição para dois anos. Foi uma grande conquista, principalmente porque era um anseio da população".

O prefeito Luiz Carlos Busato também citou a redução no prazo para o fim das carroças em Canoas, que passou de oito para dois anos, após aprovação da proposta do Executivo na Câmara. "Teve uma frase que o Alex me disse que me sensibilizou, que daqui a oito anos nenhum desses animais que estão puxando carroças hoje estará vivo. A lei, apesar de ser boa, é para outra geração de animais. Infelizmente temos casos de animais que são submetidos a até três turnos diários de trabalho, que são compartilhados entre famílias. O animal é usado até a morte. Vamos mudar esse cenário em Canoas. O Bikeco não é apenas no sentido de ecológico. Precisamos que essa ação faça eco, para que possamos discutir essa realidade".

Canoas Sem Carroças

Revista Servioeste - Saúde e Meio Ambiente Canoas Sem Carroças Inicialmente, o Programa Canoas Sem Carroças proíbe a circulação de veículos de tração animal na região central de Canoas, no...

Inicialmente, o Programa Canoas Sem Carroças proíbe a circulação de veículos de tração animal na região central de Canoas, no trecho delimitado entre as ruas Regente Feijó a Norte; avenida Getúlio Vargas a Leste; avenida Inconfidência ao Sul e avenida Victor Barreto a Oeste.

O Programa está sendo implementado pelas Secretarias do Meio Ambiente, de Desenvolvimento Social, de Serviços Urbanos, de Transportes e Mobilidade, de Desenvolvimento Econômico e pela Fundação Municipal de Saúde de Canoas.

*Fonte: Secretaria de Comunicação de Canoas
Fotos: Derli Colombo Junior/Divulgação

Veja também

O ar que você respira22/12/17A delicada relação entre a saúde humana e o meio ambiente. Por Carol Bonamigo Em 2014, o cineasta anglo-americano Christopher Nolan escreveu e dirigiu um aclamado filme de ficção científica. Em Interestelar, um futuro distópico não tão distante mostra um planeta Terra com terríveis problemas na agricultura, após uma praga dizimar boa parte das plantas existentes. O resultado disso é uma seca generalizada que......
São Paulo reduz o consumo de água em 15%06/03/18Dois anos após fim do racionamento, moradores da Região Metropolitana Paulista incorporaram medidas no dia a dia que ajudaram a diminuir o consumo. Os moradores da Grande São Paulo estão consumindo 15% menos água hoje do que há quatro anos, segundo dados divulgados pela Companhia Estadual de Saneamento Básico (Sabesp). Em fevereiro de 2014 houve o início da......
Arborização Urbana12/06/17Preocupação com o meio ambiente eleva a qualidade de vida nas cidades Com o avanço urbano, as árvores disputam espaço com o concreto. O crescimento das cidades acarreta em maior poluição, alterações climáticas, dentre outras consequências que tornam o planejamento de......

Voltar para NOTÍCIAS