Postado em 16 de Abril de 2018 às 15h01

Fotografe, cadastre e compartilhe

Gestão Pública (20)

Plano Diretor de Arborização de Maringá, no Paraná, estuda aplicativo para cidadãos cadastrarem as árvores do município.

Com a popularização das redes sociais voltadas para a valorização da fotografia, cada vez mais os fotógrafos amadores compartilham seus cliques por aí. E se com as fotos das paisagens você pudesse ainda ajudar a sua cidade?

Para facilitar o cadastramento de árvores, a Secretaria de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal (Sema) de Maringá (PR) estuda a criação de aplicativo para registro de informações sobre espécies de árvores existentes na arborização urbana. A expectativa é que, se o estudo for positivo, o software fique pronto no segundo semestre deste ano.

O sistema, em fase de estudo, faz parte do Plano Diretor de Arborização, exigido pelo Ministério Público e iniciado em março do ano passado. O cadastramento é o processo mais demorado do projeto e com o uso do aplicativo será possível mapear a arborização urbana em algumas regiões da cidade, com informações como coordenadas geográficas e estado da árvore.

O engenheiro florestal da Sema, Maurício Sampaio, explica que o mapeamento já é realizado sem o aplicativo. “Usamos imagens em alta resolução. Já mapeamos a Zona 1, 2 e 3 e está em fase de análise a Zona 4 e 5”, comenta. “O aplicativo é uma ferramenta a mais para ajudar a Sema nesse cadastro”, acrescenta.

Revista Servioeste - Saúde e Meio Ambiente Além do cadastro, o Plano Diretor de Arborização é responsável por diagnosticar a situação das árvores e gerar um planejamento para os...

Além do cadastro, o Plano Diretor de Arborização é responsável por diagnosticar a situação das árvores e gerar um planejamento para os próximos 30 anos. “Queremos criar um banco de dados com informações de todas as árvores da arborização urbana de Maringá. As solicitações feitas pelo 156, de poda ou remoção, por exemplo, deverão ser registadas no nosso sistema para termos esse controle”, diz Sampaio.

A partir do projeto, Maringá terá árvores bem manejadas, evitando quedas, problemas na rede de energia e riscos atuais e futuros relacionados ao meio ambiente, além de garantir a conservação da biodiversidade.

A arborização está associada ao equilíbrio da temperatura na zona urbana, interações humanas, controle da velocidade do vento, conservação das calçadas, permeabilidade do solo e importância histórica cultural. “São essenciais para a qualidade de vida. Quanto mais arborizada a cidade, melhor. Em Maringá, as árvores já viraram referência e as pessoas reconhecem a cidade por conta da arborização”, observa. O último levantamento, em 2006, estimou a existência de 130 mil árvores no município.

Veja também

Minas Gerais implementa sistema de logística reversa de baterias10/04O estado pretende conscientizar a população sobre o destino correto das baterias de chumbo ácido Ao trocar a bateria do seu veículo, você se preocupa em como é realizado o descarte desse material que contém chumbo ácido? Para que esse resíduo perigoso tenha destinação segura e responsável é necessário armazená-lo de forma adequada e reduzir ao máximo o destino ilegal dessas baterias. Atento ao controle do descarte desse......
O ar que você respira22/12/17A delicada relação entre a saúde humana e o meio ambiente. Por Carol Bonamigo Em 2014, o cineasta anglo-americano Christopher Nolan escreveu e dirigiu um aclamado filme de ficção científica. Em Interestelar, um futuro distópico não tão distante mostra um planeta Terra com......
Brasil diminui uso de substâncias que afetam camada de ozônio27/07/17Em compromisso com Protocolo de Montreal, País já eliminou 34% do consumo de Hidroclorofluorcarbonos, usados na produção de ar-condicionados e geladeiras. O Programa Brasileiro de Eliminação dos Hidroclorofluorcarbonos (HCFCs), substâncias que afetam a camada de ozônio, já possibilitou a retirada de 34% do consumo brasileiro desses elementos, cuja meta é de 35% para o ano......

Voltar para NOTÍCIAS