Postado em 25 de Janeiro de 2018 às 11h41

Febre Amarela causa preocupação no Brasil

Vida Saudável (28)

São Paulo segue com maior número de casos, com 61 confirmados.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil registrou 130 casos de febre amarela no País, sendo que 53 vieram a óbito, no período de 1º julho de 2017 a 23 de janeiro de 2018. No mesmo período do ano anterior, foram confirmados 397 casos e 131 óbitos.

Doses extras da vacina estão sendo enviada aos locais que registraram casos suspeitos da doença. No total, ao longo de todo o ano de 2017, o Ministério da Saúde encaminhou 45 milhões de doses da vacina, tanto para a rotina de imunização, como para o reforço nos estados afetados pelo surto.

Em MG, RJ, SP, ES e BA foram distribuídas 36,3 milhões de doses. Neste ano, apenas no mês de janeiro, foram repassadas 8,8 milhões de doses da vacina. “As áreas determinadas para a vacinação continuam as mesmas e as medidas de prevenção, como intensificação de vacinação e fracionamento das doses, também continuarão a ser realizadas e atualizadas conforme houver necessidade. Além disso, pessoas que viajarem para esses locais também precisam se vacinar”, afirmou o Ministro da Saúde substituto, Antonio Nardi. 

A febre amarela é transmitida por meio de vetor (mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes no ambiente silvestre). O último caso de febre amarela urbana foi registrado no Brasil em 1942, e todos os casos confirmados desde então decorrem do ciclo silvestre de transmissão.

Revista Servioeste - Saúde e Meio Ambiente “Embora a área exposta este ano seja muito maior e abarque grandes cidades com maior concentração populacional do que no ano passado, esses números demonstram que a...

“Embora a área exposta este ano seja muito maior e abarque grandes cidades com maior concentração populacional do que no ano passado, esses números demonstram que a situação deste ano é muito mais controlada, se comparada ao ano passado”, explicou o Ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Segundo o Governo Federal, entre janeiro e março deste ano, 77 municípios dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia irão realizar campanha de vacinação com doses fracionadas e padrão contra a febre amarela. O objetivo é evitar a expansão do vírus para áreas próximas de onde há circulação atualmente. No total, 21,7 milhões de pessoas destes municípios deverão ser imunizadas na campanha, sendo 16,5 milhões com a dose fracionada e outras 5,2 milhões com a dose padrão. A adoção do fracionamento das vacinas é uma medida preventiva que será implementada em áreas selecionadas, durante período determinado de 15 dias.

“A partir de agora, as pessoas que já tomaram uma dose não precisam se vacinar mais contra a febre amarela ao longo da vida”, explica o Ministro da Saúde, Ricardo Barros.

*Informações: G1 e Ministério da Saúde

Veja também

Como se alimentar melhor no inverno04/07/18Com a chegada dos dias mais frios, o apetite aumenta, pois o corpo gasta mais calorias para se manter aquecido. É comum sentirmos o apetite aumentar no inverno. Segundo a nutricionista Franciela Viau, do Hospital Universitário de Canoas, no Rio Grande do Sul, isso ocorre porque o corpo humano necessita de um maior gasto energético nos dias frios para produzir mais calor e manter a temperatura corporal normalizada. Com isso, é bastante comum que as pessoas descuidem da alimentação.......
Dia Mundial do Câncer05/02O dia 4 de fevereiro é o Dia Mundial do Câncer e pesquisa alerta para que sobreviventes da doença mudem seu estilo de vida. Sobreviver ao câncer é o principal objetivo de qualquer paciente com a doença. Pesquisa pioneira do Instituto Nacional de Câncer (INCA) mostrou que o desafio, no entanto, não termina com o fim do tratamento. A pesquisa......
Baixas temperaturas favorecem o surgimento de doenças respiratórias21/05/18O frio chegou e com ele também as famosas doenças do inverno. Resfriados, gripes, sinusites e asma são algumas das enfermidades comuns da estação. A mudança de temperatura, em especial no inverno, causa maior irritação e infecções das vias aéreas superiores (IVAS). Segundo o otorrinolaringologista Dr. Rodrigo Kohler, essa influência acontece, pois ficamos......

Voltar para NOTÍCIAS