Postado em 27 de Julho de 2017 às 13h56

Consumo Colaborativo

Resp. Ambiental (29)

Baseado em ajuda mútua e responsabilidade socioambiental, esse novo tipo de consumo tem em sua essência o compartilhamento e a troca de experiências.

O consumo consciente é tido como uma prática sustentável que permite o reaproveitamento do produto para a mesma ou outra finalidade. Sem uma estrutura de oferta e demanda rígida e limitada, sem uso de moeda fixa, o comércio é realizado por meio de empréstimo, aluguel ou troca. Dessa forma, é possível adquirir um serviço e/ou tirar proveito da experiência que um produto proporciona sem precisar comprar um novo.

Não é de hoje que se fala da importância de estimular o pensamento sustentável das próximas gerações. A conscientização e reeducação são as melhores formas de fazer com que o futuro do planeta se torne diferente daquilo que as atuais (e preocupantes) projeções apontam.

De acordo com uma pesquisa elaborada pela Market Analysis, em algumas capitais do país, a população brasileira tem melhorado significativamente sua relação com os hábitos de consumo colaborativo. Isso porque o estudo evidencia uma série de características positivas adquiridas e postas em prática pelos brasileiros.

Revista Servioeste - Saúde e Meio Ambiente A começar por um dos mais relevantes serviços para as estatísticas e que tem contribuído de maneira significativa para a melhoria da rotina das pessoas: o sistema de caronas,...

A começar por um dos mais relevantes serviços para as estatísticas e que tem contribuído de maneira significativa para a melhoria da rotina das pessoas: o sistema de caronas, que corresponde às diversas modalidades de compartilhamento de transporte gratuito e tarifado (taxi e, principalmente, o Uber).

Conforme a Market Analysis, o serviço é uma das atividades mais atreladas ao conceito de consumo colaborativo, com 20% de conhecimento entre os entrevistados, ficando atrás somente da troca ou venda de produtos usados (39%). Dentre as principais práticas de CC conhecidas pelas pessoas, a tendência tem subido cada vez mais e hoje representa 18%.

Outro dado interessante a respeito das caronas tem a ver com a grande incidência na prática do consumo compartilhado. A atividade lidera a lista neste quesito, tendo sido utilizada por pelo menos 54% dos entrevistados nos últimos 12 meses. A troca de livros e de eletroeletrônicos aparecem empatados na segunda posição com 37%.

Vale destacar ainda que o site de compra e venda OLX lidera o mercado de consumo colaborativo nas quatro regiões em que as pessoas foram entrevistadas (sul, sudeste, nordeste e centro-oeste), seguido pela Uber, que também apresentou grandes números. O banco Itaú, o centro cultural Daruê Malungo e o Mercado Livre também foram lembrados.

No total, 905 pessoas contribuíram para a pesquisa, que foi realizada nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Recife, Porto Alegre e Goiânia.

 

*Fonte: Pensamento Verde

Veja também

Revista Servioeste é finalista do Prêmio IMA de Jornalismo Ambiental26/11/18Reportagem sobre a destinação final dos resíduos sólidos urbanos é finalista do 11º prêmio do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina. A Revista Servioeste é uma das finalistas da 11ª edição do Prêmio IMA de Jornalismo Ambiental, promovido pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), com a reportagem O Destino dos Excedentes, da jornalista Carol Bonamigo. A matéria, que foi capa da terceira edição da Revista, ilustra o panorama atual dos resíduos sólidos urbanos no......
Projeto Compostar coleta lixo orgânico no DF27/07/18Projeto que oferece coleta por assinatura já reciclou cerca de 80 toneladas de resíduos orgânicos que seriam enviados para os aterros de Brasília. Os jovens do Projeto Compostar cuidam de um assunto muito delicado e problemático, o lixo. Aproveitando-se da brecha para empreender com lixo orgânico, o Projeto Compostar recicla e transforma em adubo os resíduos gerados nas......
Estudo analisa poluição de transportes em seis cidades 02/05As medições foram feitas dentro dos transportes urbanos e identificaram diversas partículas poluentes Cientistas da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) realizaram um estudo pioneiro para analisar os níveis de poluição do ar em transportes marítimos, terrestre, aéreos e subterrâneos,......

Voltar para (NOTÍCIAS)