Postado em 23 de Fevereiro de 2018 às 17h29

App aproxima catadores de quem quer descartar produtos recicláveis

Educação Ambiental (23)

Através de um processo aberto, sem fins lucrativos e colaborativo, Cataki visa conectar geradores e catadores de resíduos, aumentando reciclagem e renda.

Foi a partir da demanda que o grafiteiro e ativista Mundano idealizou o Cataki, aplicativo sem fins lucrativos que conecta catadores com pessoas e empresas que querem descartar materiais recicláveis. De julho de 2017 até fevereiro deste ano, a empreitada já recebeu registro de mais de 300 catadores e 30 cidades brasileiras.

De acordo com a iniciativa, os catadores coletam cerca de 90% de tudo que é reciclado no Brasil. São trabalhadores autônomos que representam a base da pirâmide de um setor não regulado e não reconhecido. O projeto que faz este meio de campo deu tão certo que venceu, neste mês, o prêmio de inovação do fórum Netexplo, em Paris, concedido a projetos de tecnologia com maior impacto social e nos negócios.

Ao todo foram dois mil projetos avaliados pelo fórum, observatório independente de estudos sobre o impacto de tecnologias na sociedade e nos negócios, em parceria com a Unesco. E o Cataki foi selecionado como o grande vencedor.

Como funciona

Revista Servioeste Saúde e Meio Ambiente Como funciona Engana-se quem possa pensar que a tecnologia é restrita a quem tem smartphones. Breno Castro Alves, coordenador do projeto, explica que, como se trata de “uma...

Engana-se quem possa pensar que a tecnologia é restrita a quem tem smartphones. Breno Castro Alves, coordenador do projeto, explica que, como se trata de “uma população muito vulnerável que ainda sofre com a exclusão digital”, foi pensado um conceito colaborativo que não demanda muita tecnologia. “O Cataki propõe um contato real, permitindo que pessoas de diferentes classes sociais conversem sobre um problema comum”, explica Breno.

“Os catadores são cadastrados num banco de dados e começam a receber ligações dos usuários do app que querem descartar móveis, eletrônicos, vidro e papéis”, orienta o coordenador do projeto. Pelo próprio aplicativo é possível ver o perfil dos catadores mais próximos e fazer uma ligação para combinar o horário e local da coleta. Também é viável estipular o preço do serviço.

 

Fonte: CicloVivo

Veja também

Revista Servioeste ganha prêmio regional de Jornalismo Ambiental07/12/18Publicação também foi finalista estadual na categoria mídia impressa. Aconteceu na noite de 4 de dezembro a entrega do 11º Prêmio IMA de Jornalismo Ambiental, promovido pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina, em Florianópolis. A Revista Servioeste recebeu o troféu de primeiro lugar regional com a reportagem “O Destino dos Excedentes”, da jornalista Carol Bonamigo, sobre a destinação final dos resíduos......
Programa Voluntário Ambiental RJ18/10/18Inea oferece vagas para voluntários na Floresta Estadual José Zago, em Trajano de Moraes. O Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (Inea) recebe, de 8 a 19 de outubro, inscrições para o Programa Voluntário Ambiental afim de preencher cinco vagas para o voluntariado regular, sendo uma para as áreas de apoio a......
Brasil Sem Frestas20/01/20 Iniciativa transforma embalagens de papel em revestimento térmico para casas e muda a realidade de centenas de famílias em 36 cidades do Brasil Por Angela Piana Era setembro de 2009, uma noite de tempestade na cidade gaúcha de......

Voltar para NOTÍCIAS